Novas Provas no caso “BNDES”, envolvendo o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP)

Continuando o caso do deputado federal Paulinho da Força, conforme o dossiê apresentado pela Polícia Federal, chamado de operação “Santa Tereza”, com provável envolvimento em desvio de verbas do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

 

Na quinta-feira (08/05/2008), a PF apresentou recibo de deposito bancário, encontrado na casa do lobista João Pedro de Moura, ex-assessor do deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) (o Paulinho da Força), que integrava o conselho de administração do BNDES, em nome da ONG Meu Guri Centro de Atendimento Biopsicossocial, localizada em Mairiporã (SP), no valor de R$ 1,328 milhão. A ONG tem como presidente a mulher de Paulinho da Força, Elza de Fátima Costa Pereira.

 

Nesta sexta-feira (09/05/2008), Paulinho e a esposa estiveram na sede do projeto, para tentar esclarecer as acusações sobre o suposto desvio de verbas. Elza Pereira, na oportunidade assinou documentos, na expectativa de autorizar a quebra de sigilo bancário, telefônico e fiscal da entidade envolvida.

 

A ONG recebeu do BNDES R$ 1,328 milhão para construção de prédios do projeto, nos anos de 2002/2003, quando João Pedro integrava o conselho de administração do banco.

 

A Polícia Federal acusa Moura de chefiar o suposto grupo que realizava as operações ilegais no BNDES. De acordo com o banco, o financiamento é proveniente do Fundo Social da instituição, para obras de infra-estrutura da ONG.

 

Paulinho da Força disse que “quer ser investigado logo e quero transparência”, afirmou ainda “que tudo não passa de uma articulação política pelo trabalho que ele tem feito no Congresso”. Segundo o próprio deputado, não pensa em tirar a candidatura à prefeitura de São Paulo dos seus planos. “Não vou desistir não, vou ganhar mais votos com isso aqui”, disse.

 

 

O corregedor-geral da Câmara dos Deputados, Inocêncio Oliveira (PR-PE), disse que a situação do deputado Paulo Pereira (PDT-SP) está cada vez mais grave, ainda mais depois das novas denúncias que envolveram a sua mulher, Elza Fátima Costa Pereira.

 

Inocêncio Oliveira solicitou à Procuradoria Geral da República documentos sobre o caso e, dependendo do conteúdo do material, ele afirma que poderá enviar o caso de Paulinho direto ao Conselho de Ética, antes mesmo de abrir uma sindicância na Corregedoria para investigar o deputado.

 

Já deputado oposicionista, Chico Alencar (PSOL-RJ), analisa a possibilidade de abrir uma representação contra Paulinho no Conselho de Ética da Casa. Ele afirma que aguarda apenas as investigações iniciais da Corregedoria para tomar uma atitude.

O Paulinho está cada vez mais se enrolando. Sabemos onde vai dar.

Fernand Koda

Deixe um comentário

Arquivado em Eleições, Polícia, Política

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s